AMR vs AMI: quais as diferenças entre esses sistemas de medição?

4 minutos para ler

Leitura Automatizada de Medidores (AMR) e Infraestrutura de Medição Avançada (AMI) são duas siglas usadas com frequência na indústria de medição individualizada de água e gás. No entanto, por serem siglas derivadas de palavras inglesas, o significado delas não é prontamente evidenciado.

Esse texto tem a função não só de esclarecer os conceitos existentes por trás dessas siglas, mas de detalhar o que são tais tecnologias e como elas são usadas na indústria de medição de água e gás.

AMR – Leitura Walk-by ou Drive-by

A AMR é a tecnologia de comunicação que as empresas de individualização de água e gás mais utilizam para coletar automaticamente o consumo e os dados de status dos medidores. O sistema AMR é composto basicamente por um dispositivo de radiofrequência conectado ao medidor, que captura o fluxo de água ou gás e os dados de alarme.

Referidas informações são coletadas pelos leituristas que passam em frente ao endereço do cliente caminhando (leitura “walk-by”) ou dirigindo (leitura “drive-by”), munidos com um receptor de dados.

Após a coleta, os dados do medidor são transferidos para um banco de dados onde as empresas que prestam serviço de individualização podem monitorar e analisar o consumo, solucionar problemas e gerar relatórios de cobrança aos clientes com base na real utilização da água ou do gás.

AMI – Leitura por concentrador

A AMI é um sistema que integra medidores de água e gás, redes de comunicação e sistemas de gerenciamento de dados, permitindo a comunicação entre o medidor e as empresas individualizadoras. Neste sistema, instala-se um concentrador de dados em um determinado ponto dentro do condomínio no qual seja possível captar os sinais de radiofrequência emitido por cada medidor.

O sistema transmite automaticamente os dados dos medidores diretamente para a empresa, em intervalos predeterminados. Com a implantação da infraestrutura de medição avançada (AMI) não é necessária a ida de leituristas a campo para coletar os dados de leituras de seus clientes, o que ainda é necessário na AMR.

Neste caso, os dados dos medidores são enviados às individualizadoras por meio de uma rede fixa pela utilização da tecnologia GPRS (General Packet Radio Service), na maior parte das vezes. A empresa prestadora de serviços de gestão do consumo pode usar os dados tanto para melhorar a sua eficiência operacional, quanto para melhorar a sustentabilidade do seu cliente, monitorando com eficácia o uso da água e do gás e a eficiência do sistema, detectando avarias e reconhecendo irregularidades, como vazamentos e fraudes, com precisão e agilidade.

Em uma rede fixa bem projetada, o tempo de inatividade é praticamente inexistente, sendo possível garantir que todos os dados de consumo dos medidores serão coletados com segurança e sem interrupção.

Para saber qual é a melhor tecnologia a ser implantada no seu condomínio, é importante avaliar vários aspectos, como o custo e benefício, orçamento disponível e para qual finalidade a ferramenta está sendo contratada. O AMR pode ser mais barato, mas oferece menos funcionalidades, enquanto o AMI é mais caro e completo.

Então, antes de tudo, faça uma pesquisa detalhada no mercado, verifique as opções disponíveis e observe os critérios mencionados para que você possa fazer uma escolha certeira e que realmente consiga atender as suas necessidades.

Achou este conteúdo interessante para você? Então, que tal aproveitar para compartilhá-lo em suas redes sociais? Dessa forma, você também pode ajudar sua rede de contatos a esclarecer as principais dúvidas a respeito do assunto!

Posts relacionados

Deixe um comentário